Sua falta.


Eu nem sei o que aconteceu direito. Foi tudo tão rápido... Não sei explicar como nem porquê, então aceitei que Deus quis assim. Há coisas que não estão dentro da minha compreensão. Você é uma delas.

Eu não releio mensagens, não escuto áudios, principalmente porque eu não preciso disso para te manter vivo aqui dentro... Você simplesmente não saiu. Em partes porque minha esperança insiste em te alimentar, outra parte porque algo me diz que o ciclo não acabou.

Você invade meus pensamentos em diferentes horas do dia, sem nem sequer avisar. Não sei descrever o que sinto quando você aparece, mas não me sinto mais como antes. Nem dor nem animação... Apenas uma inquietação apática dentro do peito.

Fico feliz em saber que a cada dia você dói menos em mim, não sinto mais a mesma necessidade de você que sentia antes... O que é estranho porque me apaixonei pelos teus olhos. Porém, na maioria das vezes estou apática, como se não sentisse nada, mesmo pensando em você quase todos os dias.

Você está ali, num canto, observando meus passos... Mas não te sinto mais, mesmo invadindo minha consciência grande parte das minhas noites.

Share:

0 comentários