#30 | A pele que habito

Incrível como mudamos ao longo do tempo, não é mesmo? Eu já fui tantos eus que não posso nem ao menos contabilizar. Ao menos posso dizer que continuo a mesma... Estranho, não é? 

É como reencontrar um amigo antigo e ele dizer "nossa, você continua a mesma!" quando na verdade, você já não é mais aquela adolescente que estudou com ele no ensino médio, mas ele ainda te reconhece, em essência, a mesma pessoa dos bons e maus momentos.

Acho que posso dizer que sou diferente a cada dia, tento me renovar a cada dia. Afinal, a cada amanhecer, é um dia que ganhamos para aprender algo novo, pra aprender algo sobre si mesmo.

Tenho orgulho do que sou hoje, mesmo olhando pro meu passado e vendo um mar de lágrimas que eu mesma chorei... Elas me ajudaram a por pra fora coisas que eu não consegui falar e me ajudaram a limpar a mente pra muita coisa nova.

Essa é a pele que eu habito: cheia de cicatrizes das batalhas vividas. Essa sou eu.

Share This Article:

,

CONVERSATION

0 comentários :

Postar um comentário