Eu tive cabelo liso por muitos anos. Eu cresci dentro do padrão Barbie - querendo ser loira e ter olhos azuis. Eu sei, é bobagem, mas era o padrão da minha época de criança. Graças a Deus, eu cresci numa família onde eu tinha total liberdade para fazer tudo o que eu quisesse com meu cabelo.

Eu tenho cabelo cacheado tipo 4A, com molinhas bem pequenas e definidas iguais a um miojo. A primeira vez que cortei, meu cabelo media na metade das costas... Minha mãe morreu de dó em cortar... Mas cortou mesmo assim.

Desde então eu mantenho os cabelos curtos pois eu tenho cabelo para duas cabeças. E, mante-los curtos para mim foi sinônimo de praticidade, principalmente nessa época, pois eu os mantinha lisos.

Passados ANOS, fiz a transição e o temido big chop veio com extrema facilidade: eu estava decidida a ter meus cachos de volta, sabia que precisaria cortar todo o liso fora. Esperei uns três meses pelo crescimento da raiz sem passar química e passei a tesoura.

Acho que  a única coisa que não tenho coragem de fazer é passar a máquina zero, de resto eu acho que fiz. Hoje em dia, com meus cachinhos naturais, sigo um cronograma capilar a risca (gasto muito com meu cabelo hoje em dia) e a única química que faço nele é descolorir para pintar de cores fantasia. Você pode acompanhar minhas mudanças no Instagram do blog clicando aqui (aproveita e segue a gente!).

2 Comentários

  1. Eu sempre tive o cabelo muito volumoso. Ele é ondulado. Gosto dele, mas o volume excessivo me incomoda. Já fiz muita progressiva, mas não quero mais, sabe? Não quero ele escorrido, só não quero leãozinho. Quando criança, minha mãe diz que eu vivia perguntando porque eu não tinha cachos. Ainda me pergunto isso. Acho lindo.
    Acho lindo quem consegue passar pela transição.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, passar pela transição não é fácil. Mas é algo libertador. É como se você resgatasse a sua própria essência! Deveria tentar!

      Excluir