Confesso que esse post me deu certo trabalho para escrever... Não só por Cubatão ser uma cidade considerada do interior, mas também por não ter seus pontos históricos devidamente preservados.

Vou começar falando de um ponto turístico meio mórbido, porém extremamente interessante: o Cemitério Israelita. Hoje ele é um anexo do cemitério municipal da cidade (que foi construído a partir dele), abriga o túmulo de 55 mulheres e 20 homens. (Fonte Chevra Kadisha)
Chevra Kadisha
Chevra Kadisha
Chevra Kadisha


Essas mulheres, em sua maioria, atuavam na prostituição - chamando-se de "polacas" - e, como essas eram consideradas impuras para serem sepultadas junto com as outras pessoas (que eram sepultadas no Cemitério do Paquetá/Santos), eram trazidas para Cubatão (que pertencia a Santos nessa época). (Fonte: Novo Milênio)

Mas temos outros monumentos históricos menos fúnebres como o Rancho da Maioridade - que está localizado no Parque Estadual Serra do Mar (conhecido como Caminhos do Mar). Ele é trecho da Estrada Velha de Santos, que ligava o Planalto ao Litoral. (Fonte: Prefeitura Municipal de Cubatão)

Leva esse nome por conta da estrada - Estrada da Maioridade, construída entre 1481 e 1486 (Fonte: Parque Estadual Serra do Mar). Lá pra cima, tem também o Pouso Paranapiacaba, local esse construído para descanso de quem descia de São Paulo ao Litoral.

Sua construção se integra totalmente com a paisagem pois é toda circulada por varandas, construída de alvenaria e granito da época, foi pensada como homenagem automobilística. Possui um mapa de azulejo com as estradas de São Paulo da época (Fonte: Parque Estadual Serra do Mar).

Para quem gosta de mato e muita natureza, tem o Núcleo Itutinga-Pilões, localizado no km 8, na Água Fria. É um parque gigantesco que abrange 8 municípios, com duas opções de trilhas: Trilha da Barragem e Trilha do Rio Pilões (Fonte: Parque Estadual Serra do Mar).
E por último (porém não menos importante), temos a Cachoeira Véu da Noiva, localizada no Parque Ecológico do Perequê. Esse é pra quem gosta mesmo de trilha e contato com a natureza (meu favorito) - e pra quem não gosta de praias lotadas.

Por ser um local mais isolado, com uma trilha acidentada com pedras e grandes raízes pelo caminho, as pessoas acabam por não se aventurarem a subir. O que pode valer muito a pena pois, quanto mais você sobe, mais a paisagem fica exuberante e menos pessoas você vê ao redor (Fonte: Exploradores).
Fonte: Exploradores
Fonte: Exploradores
Fonte: Exploradores

Vale muito a pena se aventurar nessa trilha (muito mais a pena do que ir no Poço das Antas - Mongaguá/SP, vão por mim). O lugar é lindo, porém está num completo abandono por parte da Prefeitura de Cubatão (assim como o restante da cidade)...

Deixe um comentário