Olhe só pra mim, hoje em dia uma mulher feita... Gênio forte, respondona, a que sabe o que quer e o que não quer. Nada disso seria possível se não fosse por você, o meu herói, o que não chora muito menos senti dor (ou apenas não demonstra): meu pai.

Antes eu me orgulhava em ser comparada a você, ou simplesmente tirava como elogio quando diziam "você é igual ao seu pai". Quem podia prever que isso mudaria em mim? Eu sempre tive o melhor exemplo de como um homem deveria ser... Mas hoje em dia eu mal posso lidar com isso.

Talvez eu tenha me enrolado na própria imagem que eu criei na mente, como se você fosse o homem perfeito. Eu me enganei. Eu sofri. Eu simplesmente não posso acreditar que o homem que me ensinou tudo o que um homem de verdade é esteja fazendo tudo pelo contrário.

Eu sofro, e continuo sofrendo por não aceitar a realidade que vivo hoje. Onde está o marido amoroso e companheiro com quem convivi por mais de 20 anos? Eu não quero uma pessoa assim do meu lado, enquanto eu me desdobro para trabalhar, estudar e cuidar da casa enquanto meu marido passa o dia assistindo filme e reclamando que a casa está suja.

Você deseja um marido assim para mim? Você foi e é (quando você quer e lhe convém) um pai maravilhoso, mas ainda não consigo entender o que passa na sua cabeça. Não fui criada para ser uma mulher antiga que vivia para a casa, por que cobra tanto da esposa? 

Eu me lembro do dia do seu acidente. Naquele dia eu sofri. Naquele dia coloquei você num pedestal ainda maior do que o de um herói. Hoje em dia eu sofro por não reconhecer em nenhum traço o homem que me ensinou como um homem deve ser...

Primeiro dia dos pais sem você, o primeiro dia onde eu não sei se me sinto culpada por não querer comemorar a data ou por não sentir a menor vontade de te desejar parabéns pelo dia. Sabe o que é pior? Eu sinto mágoa por tudo o que aconteceu, mas infelizmente eu não consigo te odiar por completo.

Deixe um comentário