Foi assim que tudo aconteceu... Numa conversa jogada afora, fui descobrindo pequenos detalhes sobre você. Uma amizade meio improvável, levando em conta onde ela começou. Mas isso pouco importa. Juro que achei que a amizade não iria durar, que você logo iria me esquecer ou que não lembraria nem meu nome...

Os pequenos detalhes... Ele é músico, e eu uma cantora de chuveiro. Um rapaz muito ocupado, com dia cheio, principalmente por ser um pai exemplar (além de super coruja), com olhos extremamente azuis (vou continuar achando que são lentes muito bem feitas!). Me surpreendi também, quando ele disse que eu cantava bem (ele é músico, já deve estar meio surdo com a música alta...).

Talvez você não se lembre daquela vídeo conferência a alguns anos atrás,  onde te fiz inveja mostrando a praia onde trabalhava. Eu cantei pra você, é você não tem idéia de como eu estava nervosa com isso. Sentia minha voz extremamente trêmula, principalmente quando me dei conta que seus grandes olhos azuis estavam fixados em mim.

A respeito da nossa amizade não durar, eu estava errada. Tive a prova disso quando recebi um convite de amizade para o "facebook dos amigos". Fiquei tipo "Ual! Ele ainda lembra de mim!". Fiquei alguns dias com aquilo na cabeça,  afinal de contas, amizades mesmo que virtuais, não  costumam durar muito hoje em dia.

Mas não com você. Logo você que tem a "síndrome de Dori". Afinal de contas, quem vai te mandar fotos da praia e com música de fundo?

Deixe um comentário