Me lembro como se fosse ontem. Eu vestida de noivinha, com o que sobrou do vestido de noiva da minha mãe, completamente adaptado. Me lembro da alegria das outras crianças, correndo pelo pátio do parquinho, todas elas fantasiadas, rindo. Nunca podia imaginar que o Carnaval do Brasil se tornaria essa festa deplorável. Esse mesmo carnaval que um dia eu pulei quando criança se tornou uma espécie de apocalipse zumbi, isto é, um monte de pessoas bêbadas, querendo comer umas as outras. Sinceramente, isso é realmente certo?
Sair de casa com fantasias que evidenciam o corpo, como se estivessemos numa vitrine, contar com quantos caras você "pegou" enquanto o bloco passa... É essa a história que vão contar para os seus filhos?
Não sou contra pular carnaval, pelo contrário, adoro festa. Mas a imagem do carnaval hoje é extremamente deplorável. E é essa imagem que está sendo vendida lá fora. Homens e mulheres "se comendo" uns aos outros no meio da multidão, sem o menor respeito com o próprio corpo. 
Essa é a minha visão de carnaval. Pessoas já saem de casa pensando em quantos irão "pegar", mulheres se exibem como pedaços de carne numa vitrine. Depois que são comparadas a prostitutas? "Não, somos mulheres de respeito." Mas que respeito?
A moça que estava usando uma micro saia e uma calcinha menor ainda, pode muito bem ser uma médica, por que não? Mas, algum homem vai olhar a postura dela fora do Carnaval? Não. Vão somente lembrar dos 40 caras que ela "pegou" no meio dos blocos. 
As pessoas veêm, o que nós mostramos. E somente isso.

Me lembro como se fosse ontem...

Deixe um comentário